Orientações Como lidar com a Dislexia na Escola

Orientações Como lidar com a Dislexia na Escola

•  Coloque a criança longe de portas e janelas para evitar que se distraia com outros estímulos. Dê preferência pelas carteiras no centro da sala, perto da professora e longe das paredes.

•  Faça com que a rotina na classe seja clara e previsível. Escreva as atividades do dia num local visível e, vá riscando-as a medida que forem cumpridas.

•  Não fale de costas, mantenha sempre o contato visual.

•  Repita ordens e instruções ditas. Enfatize os pontos ou palavras-chave, para facilitar a retenção da informação.

•  Mostre os pontos-chave em um texto, destaque-os se necessário usando um lápis ou caneta marca-texto.

•  Dê uma supervisão adicional à criança e olhe as tarefas com freqüência mesmo em sala de aula.

•  Permita algum movimento durante as atividades longas. Deixe-a beber água, fazer um pequeno desenho na folha... É preciso um momento para atenuar o “esforço mental” constante, principalmente em tarefas com o código escrito.

•  Para que as tarefas não se tornem muito longas para a criança, divida-as em partes menores. Faça isso também com textos.

•  Incentive-a a parafrasear, isto é, dizer com suas próprias palavras o que entendeu e só depois passar para a escrita.

•  No quadro-negro, escreva de forma clara e espaçada. Faça linhas divisórias fortes e utilize cores diferentes.

•  Considere a qualidade e o conteúdo do que foi escrito.

•  Não desconte pontos dos erros ortográficos nas provas. Privilegie o conteúdo das tarefas.

•  Sempre que possível, transforme as tarefas em jogos. A motivação para o aprendizado certamente aumentará.

•  Estimule atividades em conjunto e a participação oral da criança em sala de aula.

•  Intercale as atividades de alto e baixo interesse durante o dia. Não concentre o mesmo tipo de tarefas num só período.

•  Incentive-o a utilizar uma estratégia facilitadora de leitura como: acompanhar o texto com o dedo, lápis ou régua.

•  A criança deve ter reforços positivos sempre que for bem sucedido, mesmo nos pequenos sucessos. Tenha o hábito de elogiar. Isso ajuda a elevar a sua auto-estima.

•  Realize tarefas visuo-auditivas ou multissensoriais. Tarefas com mais de uma pista, facilitam a compreensão e assimilação da informação. Exemplo: entonação na voz, dramatização, texturas, figuras, músicas etc...

•  Não privilegie a criança por ter dislexia. Apenas compreenda que suas dificuldades são reais e neurológicas e que ele necessita de tratamento especializado para evoluir como os demais.

•  Mantenha contato com o(s) profissional(is) que atende(m) a criança a fim de saber o que já foi trabalhado e qual a melhor forma de proceder em sala de aula.


Texto: Priscila Felix
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Área Restrita